MIS SP: Programação discute os impactos sociais do conflito de 1932

Em julho, o MIS estreia o programa MIS Debate, em que um período, momento ou episódio histórico será revisitado e discutido por especialistas. Para a primeira edição do projeto, o Museu escolheu o tema 1932: Cultura e sociedadeaproveitando as celebrações do Movimento Constitucionalista de 1932, no dia 9 de julho.

Entre os dias 8 e 11 de julho, no Canal do museu no Youtube, acontecem lives especiais para referenciar esse momento histórico, por meio de debates com pesquisadores culturais, cineastas, historiadores e escritores, ilustrados por elementos audiovisuais como fotografias, cinema, televisão – com destaque, ainda, para a exposição virtual “A mulher na revolução de 1932”, uma parceria do MIS com a plataforma Google Arts & Culture.

A campanha #MISemCASA traz conteúdos em diferentes formatos em todas as plataformas digitais do MIS. A ação acontece em conjunto com o #Culturaemcasa, desenvolvido pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa, por conta da orientação do Centro de Contingência do Covid-19 – que determinou que os equipamentos culturais do Governo do Estado de São Paulo tenham seu funcionamento suspenso por até 30 dias a partir de 17 de março. Conheça a ação #culturaemcasa: cultura.sp.gov.br/culturaemcasa/.

O MIS agradece aos patrocinadores e apoiadores da programação 2020, que também apoiam a iniciativa digital #MISemCASA: Youse (patrocínio máster), DENSO Brasil (patrocínio), Kapitalo Investimentos (patrocínio), Cielo (patrocínio), e TozziniFreire Advogados (apoio institucional).

Confira a programação:

Hábitos culturais e a mulher na década de 30 e na guerra civil

Quarta, às 20h 

com Mary del Priore e Fabiana Ribeiro, mediação de Patricia Lira

A exposição virtual do MIS A mulher na Revolução de 1932, desenvolvida a partir do acervo do próprio MIS, é o ponto de partida para uma reflexão sobre os avanços e retrocessos da presença feminina em circunstâncias militares e políticas. O debate destaca também o comportamento público e íntimo da sociedade brasileira neste período, enfocando os hábitos culturais e sociais a partir de um panorama de oferta e consumo de elementos artísticos e sua reverberação nas décadas seguintes.

Legião Negra – a presença do negro no conflito de 1932 e na coleção Manuel Ginjo

Sexta, às 20h

com Alcides Nogueira, Francisco Vieira e Nilson Xavier, mediação de Elmo Francfort

O conflito de 1932 foi pano de fundo para diversas tramas da teledramaturgia ambientadas na capital paulista e estruturou temporalmente muitas narrativas. Este debate se concentra na importância da representação de episódios marcantes da história do Brasil e do mundo no universo teledramatúrgico, as distinções e limites entre realidade e ficção e, principalmente, a representação do ano de 1932 em novelas como Éramos seis (1958, 1977, 1994, 2019), Os imigrantes (1981), Esperança (2002) e na minissérie Um só coração (2004).

A guerra dos paulistas

Sábado, às 16h e às 18h

com Chico Santos, Cláudia Viscardi e Luiz Bolognesi, mediação de Matias Pinto

Pontos MIS bate-papo de cinema, programa semanal que exibe filmes seguidos de debate, finaliza a programação especial da semana com o documentário A guerra dos paulistas (dir. Laís Bodanzky e Luiz Bolognesi, Brasil, 2002, 56 min, livre), que retrata o momento histórico da Revolução Constitucionalista de 1932 e tenta responder quais foram as motivações para o início guerra, quem estava envolvido, quais os detalhes mais simbólicos do acontecimento e como a guerra se encerrou.

Evento realizado em parceria com a TV Cultura e a Buriti Filmes.

Inscreva-se no site MIS para assistir ao filme às 16h, e acompanhe o debate no YouTube às 18h.

dgtvmidia