Programação do #EmCasaComSesc exibe produções inéditas


A série Cinema #EmCasaComSesc, realizada pelo Sesc São Paulo, disponibiliza gratuitamente ao público filmes em streaming pela plataforma do Sesc Digital.

Nesta semana, além das estreias, a série exibe novo longa da Mostra Mundo Árabe de Cinema em Casa e um título do Cine África, além de um curta-metragem. A série ainda traz os últimos dias para ver os filmes selecionados no 46º Festival Sesc Melhores Filmes .

Cine África

O projeto Cine África, que traz filmes de países como Burkina Faso, Camarões, Egito, Etiópia, Nigéria, Quênia, Senegal e Sudão, direto na plataforma do Sesc Digital, exibe esta semana o longa-metragem “O Enredo de Aristóteles”, deJean-Pierre Bekolo. Em uma cidade africana, uma gangue de jovens circula pelo Cinema África, onde eles se encontram para assistir filmes de ação estadunidenses. Um dia, um cineasta entusiasta entra em cena e, com a ajuda oficial do governo, tenta exibir mais filmes nacionais e africanos. Para saber mais sobre a Mostra de Cinemas Africanos e o projeto Cine África, acesse: mostradecinemasafricanos.com .

PROGRAMAÇÃO

#EmCasaComSesc

Estreias 17/09

DEUS É MULHER E SEU NOME É PETÚNIA

(Dir.: Teona Strugar Mitevska, Bélgica, Croácia, Eslovénia, França, Macedônia, 2019, 100 min, Ficção, 14 anos)

Em Stip, uma pequena cidade da Macedônia, sempre no mês de janeiro, o padre local joga uma cruz de madeira no rio e centenas de homens mergulham atrás dela. Quem recuperar o objeto tem garantia de boa sorte e prosperidade. Desta vez, Petúnia mergulha na água por um capricho e consegue agarrar a cruz antes dos outros, deixando os concorrentes furiosos: como ousa uma mulher participar do ritual? Todo o inferno se abre, mas Petúnia mantém o seu chão. Ela ganhou a cruz e não vai desistir.

A CÂMERA DE CLAIRE

(Dir.: Hong Sang-soo, França, 2017, 69 min, Ficção, 12 anos)

Manhee (Kim Min-hee) é agente de filmes e foi demitida por sua chefe sem explicações. Claire (Isabelle Huppert) é uma professora de música apaixonada por eternizar momentos com sua polaroid. As duas se encontram por acaso durante o Festival de Cannes e desenvolvem uma amizade quase instantânea. Através das fotografias de Claire, pequenos detalhes sobre a vida de ambas começam a ser revelados.

MUTUM

(Dir.: Sandra Kogut, Brasil, 2007, 86 min, Ficção, Livre)

Mutum quer dizer mudo. Mutum é um pássaro preto que só canta à noite. E Mutum é também o nome de um lugar isolado no sertão de Minas, onde vivem Thiago e sua família. Thiago tem dez anos e não é um menino como os outros. É através do seu olhar que enxergamos o mundo nebuloso dos adultos, com suas traições, violência e silêncios. Ao lado de Felipe, seu irmão e único amigo, Thiago será confrontado a este mundo que ele também terá que aprender a deixar…

A RAPOSA MÁ

(Dir.: Benjamim Renner, Patrick Imbert, França, 2018, 80 min, Animação, Livre)

Aqueles que pensam que o campo é um lugar calmo e tranquilo se enganam, lá há animais particularmente agitados, uma raposa que pensa ser uma galinha, um coelho que se faz de cegonha e um pato que quer substituir o Papai Noel. Se quiserem tirar férias, mudem de caminho! Prêmio César do Melhor Filme de Animação em 2018.

curta-metragem
ENTREMARÉS

(Dir. Anna Andrade, Brasil, 2018, 20 min, Documentário, Livre)

O chão de lama, mulheres compartilham os seus vínculos e vivências com a maré, a pesca, e a Ilha de Deus.

CINE ÁFRICA [Disponível de 17 a 23/09]

O ENREDO DE ARISTÓTELES

(Dir.: Jean-Pierre Bekolo, França/Reino Unido/Zimbábue/Camarões, 1996, 72 min, Ficção, Livre)

Em uma cidade africana, uma gangue de jovens circula pelo “Cinema África”, onde eles se encontram para assistir filmes de ação estadunidenses. Um dia, um cineasta entusiasta entra em cena e, com a ajuda oficial do governo, tenta exibir mais filmes nacionais e africanos. Quando fica claro que dificilmente vai conseguir qualquer apoio e aqueles jovens vão sabotá-lo, ele se torna um vigilante da cultura cinematográfica local.

MOSTRA MUNDO ÁRABE DE CINEMA EM CASA [Disponível de 21 a 27/9]

SELVES AND OTHERS – UM RETRATO DE EDWARD SAID

(Dir.: Emmanuel Hamon, França, EUA, 2004, 54 min, Documentário, Livre)

O intelectual Edward Said aborda sua doença, suas teorias e sua posição na causa palestina. Conhecido como um dos grandes intelectuais contemporâneos da América e um importante porta-voz da causa palestina nos Estados Unidos, Said morreu em setembro de 2003, aos 67 anos. Pouco antes de sua morte, uma equipe de filmagem francesa passou várias semanas com ele e sua família, resultando em um documentário intimista que oferece um vislumbre de algumas das reflexões finais de Said sobre os temas que dominaram sua obra.

dgtvmidia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *