#44mostrasp: ‘Father’, de Srdan Gulobovic

Num enredo genial, ‘O Pai’ conta a história de Nikolai, com uma família pobre morando num povoado do interior da Sérvia num misero casebre de uma favela.

Compõe marido, mulher e duas crianças. Pai desempregado, sem nenhum recurso econômico leva à fome os familiares. Mulher desesperada ateia fogo às vestes, socorrida à tempo é levada ao hospital. 

O pai vê a chegada do Serviço Social que leva embora às crianças para um orfanato sob alegação da incapacidade paternal nos cuidados filiais. O pai intercede ao diretor do Serviço Social a devolução de seus filhos, que é negado pelo arbitrário diretor.

Não encontrando resposta ao pedido, o pai decide pleitear ao Ministro Social na capital Belgrado o direito paternal com devolução de seus filhos.

O filme mostra a dolorosa marcha do pai por 5 dias, caminhando 300 KM até Belgrado, sem dinheiro algum, com apenas uma mochila contendo dentro uma garrafa de água e restos de pão velho. Os percalços que passa pelo caminho arrancam lágrimas dos espectadores. O diretor evita o melodrama, mas faz uma digressão realista.

Após andar cinco dias chega frente ao Ministério um prédio luxuoso na capital se apresenta andrajoso pedindo uma audiência com o Ministro. É negado seu pedido o que o leva à tomar a decisão de acampar na porta do prédio, dormir no chão e fazer greve de fome. Chega seu drama ao conhecimento público coma vinda de jornais e televisão ao local.

Ante o escândalo social, o jovem Ministro acede à receber e ouvir sua narração e toma as medidas de devolução das crianças, dando-lhe uma soma de dinheiro para que volte de ônibus para casa. Meticulosa direção incidindo sobre o personagem Nikolai extraindo do ator emoções, sofrimento, gestual voltado à uma angustiada condição humana.

Fotografia, montagem, score musical sustentam essa obra prima do cinema. O pai volta ao vilarejo, entra em sua casa e vê que toda sua misera tralha fora roubada pelo vizinho do casebre ao lado, o que faz ir retirar o roubado de volta para seu casebre. Quando entra na casa destes moradores para sua surpresa depara com seus dois filhos que correm para ele e perguntam por onde andou, deixando-os à sós!. Seus filhos pensam em si, sequer pensam na tragédia paternal.

Cena final o diretor deixa no ar ao espectador que todo o sacrifício que o pai passou foi em vão, pois sequer os filhos reconhecem seu sofrimento.

Serviço:

Filme: O Pai (The Father)

Tít. Original: Otac

Rot/Dir.: Srdan Gulobovic

Sérvia – Ficção – Cor – 2 horas

Premiado pelo Júri e Público no Festival de Cinema em Berlim.

Avaliação: Excelente

dgtvmidia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *