Cultura indígena ganha visibilidade com a plataforma TePI

Foto: Performance “Lithipokoroda” / Divulgação: Outra Margem

A plataforma online TePI é um mergulho no universo dos vários povos indígenas do mundo todo, dando visibilidade à cultura desses povos. Até março deste ano, a iniciativa disponibiliza gratuitamente peças, leituras dramáticas, performances, podcasts, textos, conversas e vários outros conteúdos fantásticos, feitos por artistas indígenas e não-indígenas.

Os conteúdos são divididos em cinco eixos: mostra artística, com peças, performances e leituras dramáticas; encontros, com conversas, atos para a cura e práticas pedagógicas; internacionalização, com encontros entre programadores e artistas indígenas de vários países; paisagem crítica, com textos e vídeos sobre os trabalhos da plataforma; e publicações sobre o projeto.

Idealizada pela diretora artística Andreia Duarte e pelo filósofo, ambientalista e líder indígena Ailton Krenak, a plataforma é uma forma de resistência em nosso país, que assiste passivamente ao “desfalecimento da cultura, do direito dos povos indígenas e da negação da vida ambiental e plural”, como diz o texto curatorial do projeto.

Além de valorizar o protagonismo indígena, a plataforma tem a missão de reconhecer nesses trabalhos estéticas e conexões que ampliem a percepção sobre a experiência de ser e estar no planeta Terra.

Ao entender o teatro como um espaço de potência criação e reinvenção da vida, a iniciativa reúne obras que tratam de temas urgentes, como a preservação da natureza; a luta dos povos pelo direito à terra e a moradia; as tradições, a cultura e as peculiaridades de cada etnia indígena; e a memória individual e coletiva dessas nações.

Para conferir a plataforma, acesse TePI – Teatro e os Povos Indígenas.

Fonte: https://cutt.ly/sUGGq2D

dgtvmidia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.